Avianca Brasil deve cortar três voos internacionais em meio a crise

A partir de março a Avianca Brasil deixa de operar voos para Santiago, Miami e Nova York.

Em meio ao processo de recuperação judicial que a Avianca Brasil está enfrentando devido a uma crise financeira, nesta quinta feira, dia 17 de janeiro de 2019, a empresa de aviação brasileira disse que irá encerrar três de seus voos internacionais diretos.

Entre os voos que deixam de serem operados a partir do próximo dia 31 de março de 2019, estão as rotas entre São Paulo Guarulhos (GRU) e Santiago no Chile, e também Guarulhos x Miami e Guarulhos x Nova York, ambos nos Estados Unidos.

O que acontece agora?

Quem já comprou bilhetes aéreos após o dia 31 de março de 2019 não precisam se preocupar. Segundo a Avianca Brasil, ela irá entrar em contato com todos os clientes e tentará resolver todos os casos de forma individual.

Para quem está preocupado com as outras rotas, a Avianca informou que os outros 26 destinos, totalizando mais de 240 voos diários, devem ser mantidos e continuar operando normalmente.

O corte nestes três voos internacionais tem por objetivo adequar a empresa de acordo com a demanda de passageiros, e estas rotas não estava entre as mais buscadas pelos clientes.

Recuperação judicial da Avianca Brasil

A companhia aérea é hoje a quarta maior companhia aérea ao lado de Azul, Gol e Latam. Porém a empresa acabou entrando com um pedido de recuperação judicial no último mês de dezembro de 2018, pois foram muitos prejuízos e também atrasos nos pagamentos de suas aeronaves em decorrência deste déficit.

Apesar do temor sobre a situação da Avianca hoje, a empresa informou que continua operando seus voos normalmente e que desde o último mês de dezembro, foram mais de um milhão de passageiros transportados.

Segundo a Reuters, a Avianca Brasil informou que ao pedir a recuperação judicial em dezembro, está “a perigo” de perder 14 aeronaves pela falta de pagamento. Essa perca poderia impactar em mais de 77 mil passageiros, em um período de menos de um mês.

Porém o pedido de recuperação judicial tem a finalidade de proteger os credores da Avianca, não sendo suficiente para cobrir as cobranças referentes a arrendamentos, onde hoje a empresa “aluga” toda a frota de 46 aeronaves.

Quem está tentando recuperar algumas aeronaves da empresa brasileira é a GE Capital Aviation Services e uma empresa subsidiária. As aeronaves em questão são 12 Airbus A320.

Situação da Avianca Brasil

Desde o fim de 2016 a Avianca Brasil está sofrendo com seus passivos em empresas de leasing de aeronaves, onde hoje chegam a marca de R$ 415 milhões, segundo um relatório financeiro da marca.

Apesar da Avianca Brasil contar com um sistema financeiro separado da Avianca Internacional (Avianca Holdings), que tem a sua sede na Colômbia, ainda sim ela faz parte do grupo que tem por CEO o empresário boliviano German Efromovich.

Mas as coisas não andam boas para German também, pois o empresário acabou sendo processado por não pagar suas dívidas no Brasil e nos Estados Unidos a mais de um ano.

Quem tentou alavancar os negócios da Avianca nos últimos dias foi a United Continental Holdings com um empréstimo de US$ 500 milhões em novembro (2018), mas não se sabe ao certo para quê os valores foram emprestados.

Mostrar mais

Wesley Silva

Jornalista pós-graduado em mídia e redes sociais e jornalismo com passagens pelo Portal R7, Jornal do Trem, Impacto Comunicação.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar