Bancos

Caso criminal da 1MDB da Malásia contra o Goldman Sachs atrasou para setembro

O caso criminal da Malásia contra o banco de investimento americano Goldman Sachs, envolvendo US $ 6,5 bilhões, será adiado para setembro, decidiu um tribunal na segunda-feira, depois que advogados de defesa pediram mais tempo para receber instruções de seus clientes no exterior.

O caso contra a Goldman Sachs

Promotores malaios já haviam expedido convocações a três unidades da Goldman Sachs no Reino Unido, Hong Kong e Cingapura, exigindo que respondessem a acusações criminais movidas contra elas por questões de títulos que o banco havia providenciado para o fundo estadual 1Malaysia Development Berhad (1MDB).

O Departamento de Justiça dos EUA estima que 4,5 bilhões de dólares foram desviados do 1MDB entre 2009 e 2014, incluindo alguns dos fundos que a Goldman Sachs ajudou a levantar.

A Goldman Sachs nega consistentemente as irregularidades.

Na segunda-feira, um advogado do banco disse que a Goldman Sachs (Asia) LLC, sediada em Hong Kong, recebeu apenas sua intimação na semana passada, enquanto outra intimação emitida para a unidade de Cingapura do banco estava incompleta, com apenas três das quatro acusações. servido.

“Sob tais circunstâncias, pedimos outra data … para que tenhamos tempo suficiente para receber instruções de nossos clientes”, disse o advogado Hisyam Teh ao tribunal.

O tribunal então fixou 30 de setembro para o gerenciamento de casos.

Em dezembro passado, promotores malaios haviam apresentado acusações contra as três unidades da Goldman Sachs por enganar investidores ao fazer declarações falsas e omitir fatos importantes em relação a emissões de bônus que o banco havia organizado para o 1MDB.

O banco diz que certos membros do ex-governo da Malásia e do 1MDB mentiram sobre como os rendimentos das vendas de títulos seriam usados.

A Malásia informou que está buscando até US $ 7,5 bilhões em reparações do Goldman por seus negócios com o 1MDB, criado em 2009 pelo então primeiro-ministro Najib Razak.

Najib, que perdeu uma eleição geral no ano passado, está enfrentando 42 acusações criminais relacionadas a perdas no 1MDB e outras entidades estatais. Ele se declarou inocente.

Etiquetas
Mostrar mais

Danime Mennitti

Graduada e Mestre em História. Faço parte da equipe de redação do portal Gente e Meracado Além de professora e historiadora, sou redatora web freelancer/autônoma.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar