Dólar abre em alta, mas fecha em queda na segunda-feira

Na manhã nessa segunda-feira, 14 de janeiro de 2019, os investidores se depararam com algumas surpresas, tanto para a economia brasileira quanto para o dólar. Sendo assim, a primeira delas dizia respeito ao Ibovespa, índice da Bolsa brasileira, que superou os 94 mil pontos pela primeira vez na história de sua existência.

Enquanto isso, o dólar caiu mais uma vez no início desse ano. Apesar de abrir com pequena alta, chegando a 3,72 na máxima diária, passou o fechamento do dia com cotação em 3,69, apresentando queda de 0,41%. Tanto para a alta da Ibovespa quanto para a baixa do dólar, algumas questões políticas influenciam os valores registrados hoje.

Anteriormente, na última sexta-feira, 11 de janeiro de 2019, a situação observada foi totalmente contrária. Em resumo, a Bolsa fechou em queda de 0,16% e o dólar em alta de 0,15%. Apesar de pequenas, essas variações indicaram uma perspectiva de que o dólar pudesse se reerguer em meio à economia mundial.

Acima de tudo, a instabilidade da moeda americana tem sido intimamente relacionada à guerra comercial que está sendo travada entre os EUA e a China. Mesmo que algumas medidas estejam sendo negociadas, incluindo até mesmo negociações em Pequim, o governo dos Estados Unidos mostra-se preocupado com o comércio exterior chinês.

Desse modo, o diálogo acabou resultando, inclusive, em uma declaração de Donald Trump, onde dizia acreditar que os dois países entrarão em um acordo em breve. Além disso, o decorrer do processo deverá incluir uma visita do vice-primeiro-ministro da China, Liu He, a Washington ainda no final de janeiro desse ano.

Vale lembrar que, ainda que possam ser observadas oscilações na economia americana, Donald Trump e Xi Jinping, presidente da China, entraram em consenso ao estabelecer uma trégua de três meses na disputa comercial. Dessa forma, a medida entrou em vigor no dia 1º de dezembro de 2018 e funcionou como um alicerce para as decisões de janeiro.

Nesse meio tempo, não há como negar que a China sentiu os efeitos das mudanças estabelecidas por Trump no que diz respeito às atividades de importação e exportação. Em suma, o presidente americano estipulou novas tarifas comerciais, o que desestimulou às exportações chinesas para os EUA. Ao todo, as exportações totais do país asiático caíram 4,4%.

Ações do mercado brasileiro

Enquanto isso, no Brasil, a alta do Ibovespa foi relacionada à valorização das ações da Sabesp, que apresentaram crescimento de 8%. Sendo assim, a pontuação máxima da bolsa chegou a 94.324,35 pontos, apresentado consecutivos recordes que marcaram toda a sua história. Entretanto, vale destacar que o salto das ações ocorreu devido aos rumores de privatização da estatal paulista, citada pelo secretário Henrique Meirelles.

Além disso, outras ações que fecharam em alta nessa segunda-feira foram as da Via Varejo, empresa responsável pelas Casas Bahia e pelo Ponto Frio. Do mesmo modo, ações do Banco do Brasil, Itaú Unibanco e Bradesco também subiram, ao contrário da Petrobras, que teve suas ações em queda.

No mais, é possível ressaltar que um dos fatores políticos de grande importância sobre a economia brasileira é a reforma da previdência. De acordo com as declarações do presidente Jair Bolsonaro, a expectativa cresce para que a medida seja implantada em breve.

Mostrar mais

Lucas Dadalt

Físico Médico com formação pela USP e atualmente cursando mestrado em Física Aplicada a Medicina. No momento trabalho em tempo parcial com programação e produção de conteúdos nos mais variados temas como, por exemplo, finanças, investimentos, saúde e marketing.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar