Dólar encerra a terça-feira em alta, aos 3,72

Desde o final do ano de 2018, os índices não têm sido muito prósperos no que diz respeito à cotação do dólar. No entanto, pela primeira vez na semana, nessa terça feira, dia 15 de janeiro de 2019, foi possível observar o fechamento em alta da moeda americana. Sendo assim, o valor do dólar foi de 3,72 ao final do dia, com 0,72% de aumento.

Vale lembrar que, nessa segunda-feira, o valor do dólar fechou em queda de 0,40%, com cotação de 3,69. Bem como inúmeros outros setores da economia, a cotação de moedas sofre com influência direta dos acontecimentos mundiais. No caso do dólar, a realidade não seria diferente daquilo que fora antes observado.

Sendo assim, é possível ressaltar a votação de um acordo para o Brexit, proposto por Theresa May, votado e derrotado nessa terça-feira. Ainda que já tivesse sido aprovado pela União Europeia, esse acordo foi duramente criticado pelos parlamentares do Reino Unido. O próprio partido de May, por exemplo, já se mostrava contrário às ideias propagadas pela primeira-ministra.

Além disso, a disputa comercial entre os Estados Unidos e a China também mostrou sua influência nas oscilações do valor do dólar. Desse modo, no momento em que os representantes chineses anunciaram medidas de estímulo da economia a curto prazo, foi possível perceber o quanto as restrições americanas influenciaram os índices chineses.

Por isso, não há como negar que o governo chinês teme uma desaceleração mais acentuada em meio a disputa comercial que vêm se agravando cada vez mais. Assim sendo, as próximas mudanças anunciadas devem funcionar como uma forma de amparar e sustentar a economia em tempos difíceis.

Nesse mesmo dia, inclusive, pode-se observar a queda da libra esterlina e do euro em relação ao dólar, junto de dados que mostraram a desaceleração econômica de países como a Alemanha e da Europa como um todo. Em geral, todos os fatores mencionados contribuíram positivamente de alguma maneira para que a moeda americana pudesse iniciar sua recuperação.

Ainda assim, não é possível prever que esses serão resultados duradouros para o decorrer dos próximos dias. Enquanto as questões internacionais mencionadas não estiverem plenamente esclarecidas, é impossível obter parâmetros para a oscilação do dólar e das demais moedas estrangeiras.

Mostrar mais

Lucas Dadalt

Físico Médico com formação pela USP e atualmente cursando mestrado em Física Aplicada a Medicina. No momento trabalho em tempo parcial com programação e produção de conteúdos nos mais variados temas como, por exemplo, finanças, investimentos, saúde e marketing.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar