Finanças

Mais de 40% dos aposentados precisam trabalhar para complementar a renda

Segundo pesquisa idosos são uma crescente no mercado de trabalho.

Beneficiários de todo o país precisam complementar a sua renda para poder ter uma condição melhor no dia a dia. É o que aponta uma pesquisa feita pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e também através do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC).

A pesquisa informa que cerca de 21% da população de idosos no Brasil, mesmo após a aposentadoria, continuam no mercado de trabalho. Destes, cerca de 47% se dizem trabalhar por uma questão de necessidade financeira, onde o valor total do benefício do INSS não é suficiente para arcar com todas as despesas do aposentado.

Deste total, cerca de 45% estão presentes nas classes A e B e 48% são das classes econômicas C, D e E. Nas classes A e B, boa parte responde que trabalha porque gostam de se sentir úteis e produtivos nesta faixa etária, com um objetivo de vida.

Esta pesquisa realizada pelo CNDL e SPC aconteceu em todas as capitais do Brasil, abrangendo todas as classes sociais e níveis de escolaridade, no último mês de agosto, entre os dia 7 e 20. A consulta foi feita apenas com brasileiros acima dos 60 anos, que estejam aposentados.

Conseguindo emprego na terceira idade

A pesquisa ainda avaliou outros dados com relação a essa faixa etária. Cerca de 43% dos aposentados encontram dificuldades na hora de conseguir um emprego, independente dele ser formal ou informal, onde o principal motivo é o preconceito que se gera pela alta idade. Mas os outros 57% não sentiram dificuldades para conseguir um emprego, onde muitos acabaram permanecendo na mesma função em que se aposentou.

Mais de 60% dos aposentados que trabalham não souberam responder até que idade pretendem trabalhar. Quando havia resposta, a idade média acabou sendo de 74 anos, um número quase 10 anos superior a idade possível para se aposentar no Brasil.

Se preparando para o futuro

Em conclusão a esta pesquisa, a economista-chefe do SPC, Marcela Kawauti, relatou que os idosos estão trabalhando até mais tarde decorrente do aumento da expectativa de vida no país. Muitos destes idosos não se preparam para a velhice, onde os valores alcançados com o benefício não são suficientes para manter o padrão de vida, levando a necessidade de trabalhar para mantê-lo.

Fonte de renda para a família

Cerca de 91% dos idosos com idade superior aos 60 anos, destinam a sua renda “extra” para o orçamento familiar. E aproximadamente 43% deste total, afirmaram que são os principais responsáveis pela renda familiar.

Carteira assinada

Na pesquisa o que chamou a atenção é que cerca de 25% do total contam com carteira assinada, onde os outros 75% atuam de forma autônoma/informal no mercado de trabalho. Os dados são em decorrência ao grande fim das vagas destinadas para esta faixa etária (acima dos 60 anos).

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), no mês de agosto foram criados cerca de 140 mil vagas para aqueles que possuem idade até 39 anos, onde na mão contrária, foram fechados cerca de 37 mil oportunidades para aqueles que estão em idade superior aos 50 anos.

Para idades superiores aos 60 anos os números de vagas são ainda mais escassas, o que leva a grande informalidade neste setor.

Etiquetas
Mostrar mais

Wesley Silva

Jornalista pós-graduado em mídia e redes sociais e jornalismo com passagens pelo Portal R7, Jornal do Trem, Impacto Comunicação.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar