Industria & Comércio

Seca deve prejudicar mercado da Soja em 2019

Por conta do clima quente e da seca do último ano e do início deste ano de 2019, a produção de soja brasileira da safra 2018/19 deve ser prejudicada. A informação partiu da Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja Brasil) em um comunicado na última sexta-feira (04/01) juntamente com a consultoria INTL FStone.

Segundo estimativas a safra de grãos no Brasil deve ficar entre 110 e 115 milhões de toneladas. A seca em regiões de grande importância na produção de soja, acabou prejudicando o potencial produtivo, que deveria ser ainda maior em 2019, apesar dos números estarem próximos do recorde de 2017 que chegou na casa de 119,3 milhões de toneladas.

Caso as chuvas não ocorram nas próximas semanas de janeiro, o cenário será ainda pior, prejudicando completamente a safra brasileira, que é atualmente a maior do mundo. Essas palavras foram declaradas por Bartolomeu Braz, atual presidente da Aprosoja Brasil.

Em um comunicado da INTL a seus clientes, a consultoria que inicialmente previa 120,2 milhões de toneladas em dezembro, acabou diminuindo as expectativas para 116,2 milhões de toneladas. A redução em 4 milhões de toneladas foi justificada por conta do clima seco deste verão, que normalmente é um período de grandes chuvas.

A média de exportações de soja cresce

Porém apesar do “fantasma” da seca, a média diária de exportações de soja na primeira semana de 2019 chegou a um patamar 70,6% maior se comparado com o mesmo período de 2017.

A informação aconteceu nesta segunda-feira, dia 07 de janeiro, através da Secretaria de Comércio Exterior (Secex). A justificativa do aumento é em decorrência da guerra comercial entre a China e os Estados Unidos, que vem optado mais pela soja brasileira do que a americana.

Segundo a Secex na primeira semana foram exportados 121,3 mil toneladas de soja por dia, onde em 2017 a média de toneladas embarcadas para fora do Brasil por dia era de 71,1 mil.

Os números são ainda mais otimistas na comparação de dezembro. Foram cerca de 211,6 mil toneladas de soja exportadas por dia. A previsão é que em janeiro os números sejam ainda maiores, pois diversas lavouras no país já estão prontas para a colheita.

Outras exportações recordes

O Brasil também é referência na exportação de milho, e no comparativo anual, houve um crescimento de 57,3% com relação ao último ano, onde hoje a média diária está em 216,1 mil toneladas. Na primeira semana de janeiro, foram exportadas cerca de 648,3 mil toneladas de milho para diversos países, principalmente a China.

Etiquetas
Mostrar mais

Wesley Silva

Jornalista pós-graduado em mídia e redes sociais e jornalismo com passagens pelo Portal R7, Jornal do Trem, Impacto Comunicação.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar