Uso de bitcoin nos mercados da Darknet duplicou em 2018

Uso de bitcoins tem crescido exponencialmente

(Por Bitcoin.com) O uso de bitcoin nos mercados de darknet (DNMs) dobrou em 2018, mostrou um estudo, subindo para uma média de US $ 2 milhões por dia. O bitcoin tem sido usado há muito tempo para comprar produtos na darknet devido ao seu relativo anonimato, e parece que continuará sendo um favorito em DNMs, apesar da existência de criptomoedas mais focadas em privacidade.

Um estudo divulgado pela firma de dados Chainalysis revelou que as transações de bitcoin no darknet subiram ao longo de 2018 para cerca de US $ 2 milhões por dia, o que é quase o dobro da atividade medida no início do ano, informou a Reuters.

Mas ao longo do ano inteiro, o bitcoin fluindo para os mercados de darknet na verdade caiu para US $ 600 milhões, de US $ 700 milhões em 2017. Esta queda foi supostamente devida a grandes sites da darknet como Alphabay e Hansa serem desativados. Os mercados vendiam de tudo, desde armas e drogas ilegais até identidades falsas.

Apesar desses grandes sucessos para a aplicação da lei, o volume de transações continuou a subir na darknet e deve crescer ainda mais, afirma Kim Grauer, um economista sênior da Chainanysis. Ela afirma que a volatilidade do bitcoin tem feito pouco para impedir que as pessoas lidem com isso, dizendo: “Para alguém que quer comprar algo em um mercado escuro, o fato de o preço do bitcoin estar flutuando não importa realmente.”

DNMs permanecem resilientes
Não parece que os mercados da darknet estarão indo a qualquer lugar tão cedo.

O ecossistema oculto do mercado explodiu desde o fechamento da Rota da Seda – o primeiro DNM – e métodos cada vez mais sofisticados estão sendo desenvolvidos para burlar a imposição da lei. Métodos como “dropgangs” e “dead drops” estão sendo usados para escapar das garras das agências de três letras.

Mostrar mais

Danime Mennitti

Graduada e Mestre em História. Faço parte da equipe de redação do portal Gente e Meracado Além de professora e historiadora, sou redatora web freelancer/autônoma.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar