Finanças

O impacto do Brexit nos Serviços Financeiros

Entenda como o acordo pode afetar vários serviços e produtos

O Brexit foi mais uma vez adiado, e agora só deverá acontecer em Outubro de 2019 (e isso se acontecer mesmo), mas toda essa incerteza tem trazido vários efeitos negativos para a economia do Reino Unido.

O Brexit mesmo não acontecendo afeta a vida das pessoas, são muitos os imigrantes que voltaram para os seus países de origem, e muitas pessoas que queriam imigrar desistiram da ideia e escolheram outros países como destino.

Outro efeito são vários negócios que se mudaram para países mais estáveis e para outros destinos dentro da UE, para continuarem a ter acesso livre a esse mercado, e também diversos investimentos planeados foram cancelados ou adiados indefinidamente devido à instabilidade sobre qual será o verdadeiro futuro do Reino Unido.

Um dos setores que já foi afetado e poderá ser ainda mais afetado é o dos serviços financeiros, um setor chave para economia britânica. São três pontos importantes sobre isso, os quais vemos abaixo:

O impacto do Brexit no sistema de regulamentação

Este é um dos pontos mais complexos já que vários negócios financeiros apresentam regulamentação europeia. Com a saída, isso poderá gerar um problema nessa legislação, de forma a criar mais problemas para os negócios funcionarem em território britânico. Se o Reino Unido não manter as mesmas leis, muitos negócios vão se prejudicar e até mesmo abandonar o país, um exemplo é indústria de apostas online que atua no país através das leis da comunidade europeia.

O impacto do Brexit na economia da cidade de Londres

Londres é a principal cidade do Reino Unido e o maior centro financeiro da Europa e do mundo, isso segundo dados de setembro de 2017, e poderá perder seu poder com o Brexit, já que parte dessa importância é o fato de estar dentro da comunidade europeia e funcionar respeitando a zona do euro e sob a supervisão da União Europeia. Os muitos negócios da cidade perderiam este suporte, e poderiam deixar o mercado britânico, se mudando para destinos como Paris, Frankfurt ou Amsterdã, aumentando assim o desemprego e diminuindo a entrada de divisas no país, bem como provocando uma “fuga de cérebros” em grande escala.

O impacto do Brexit nas importações e nas exportações

As importações e as exportações seriam altamente prejudicadas, já que hoje em dia o comércio entre os países da UE é completamente livre. O Reino Unido precisaria buscar acordos com novos parceiros comerciais, o que em um primeiro momento prejudicará sua balança comercial, mas que poderá abrir oportunidades em novos mercados, como os países asiáticos, por exemplo. Mas acordos comerciais levam bastante tempo a ser negociados, e esse poderia ser um processo muito moroso. Outro ponto é a distância entre esses países, que dificultariam essas trocas comerciais se comparado com os países europeus.

Ou seja, os efeitos do Brexit, especialmente nos serviços financeiros, podem ser muito negativos. Esse adiamento no entanto acabou por ser um mal menor, apesar das perspectivas econômicas após uma saída continuarem sendo negativas. É que caso o Reino Unido tivesse saído da UE sem um acordo, o impacto da saída seria catastrófico segundo muitos especialistas, com o Fundo Monetário Internacional a prefer que a economia fosse 3.5% inferior ao previsto até 2021.

Neste momento de instabilidade é notável o fato de o governo britânico estar cada vez mais condicionado nas suas opções, e por isso será expectável que a incerteza perante o processo do Brexit conheça ainda mais desenvolvimentos inesperados ao longo dos próximos meses.

Mostrar mais

Jose Neto

Idealizador do Gente e Mercado, trabalho com investimentos e assessoria desde 2016. Aqui, escrevo sobre mercado de ações e fundos de investimentos.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar