China apresenta crescimento mais fraco em 28 anos

A China é amplamente conhecida por ser um país com altas taxas de crescimento econômico, industrial e financeiro, sendo também considerado um dos países de todo o mundo que mais avança. Além disso, acreditava-se que a China pudesse se tornar a mais nova potência mundial conhecida, o que provocou certa preocupação em outros governos.

Contudo, nesse domingo, 21 de janeiro de 2018, o Escritório Nacional de Estatísticas da China divulgou dados nem um pouco otimistas para a economia chinesa, referentes ao ano de 2018. Assim sendo, diante de operações comerciais em baixa e sinais de fraqueza do país, os índices estabelecidos indicaram forte desaceleração do crescimento.

Em resumo, a economia da China registrou expansão de 6,8%, o pior resultado dentro dos últimos 28 anos, sendo o menor índice desde o ano de 1990. Além disso, o PIB da China teve alta de aproximadamente 6,4%. Ainda que esse seja um bom resultado, a desaceleração pode ser evidenciada ao comparar o aumento de 6,5% alcançado no mesmo intervalo de 2017.

Acima de tudo, o enfraquecimento da economia chinesa pode estimular o pessimismo sobre a economia mundial. Dessa maneira, a tensão pode induzir o aumento de índices de risco aos investimentos, fazendo com que até mesmo os lucros de grandes empresas sejam afetados, inclusive a Apple, referência no setor de eletrônicos.

Estados Unidos

Sem dúvida, não há como negar a influência das medidas estadunidenses nos dados obtidos para o último ano, em especial as mudanças concretizadas pelo atual presidente Donald Trump. Em suma, a guerra comercial travada entre esses dois países foi bastante desinteressante para os chineses, ainda que novas questões venham sendo trabalhadas nos últimos dias.

Dessa forma, as justificativas mais plausíveis para o declínio dos índices da China remetem à menor demanda dos produtos e ao desestímulo provocado pelas tarifas estadunidenses estabelecidas nos últimos meses. Como consequência, houve forte pressão ao governo chinês para que fossem implantadas medidas de contenção.

Mostrar mais

Lucas Dadalt

Físico Médico com formação pela USP e atualmente cursando mestrado em Física Aplicada a Medicina. No momento trabalho em tempo parcial com programação e produção de conteúdos nos mais variados temas como, por exemplo, finanças, investimentos, saúde e marketing.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar