Finanças

Ex CEO da Barclays, Varley é isento de acusações de fraude

O ex-presidente do Barclays John Varley foi absolvido das acusações de fraude na sexta-feira, depois que juízes disseram que não havia provas suficientes contra ele em um caso sobre injeções de dinheiro no Qatar que salvaram o banco de um resgate estatal em 2008.

As acusações de fraude

O caso, perseguido pelo Escritório de Fraudes Graves (SFO) da Grã-Bretanha, foi a primeira vez que o chefe de um banco global enfrentou acusações criminais sobre a conduta durante a crise financeira, quando o sistema bancário caiu de joelhos e os contribuintes foram forçados a pagar bilhões. de libras para escorar.

Os promotores da SFO acusaram Varley de conspirar duas vezes para cometer fraude por meio de representação falsa, alegando que ele planejava pagar taxas secretas para ajudar a resgatar o Barclays, um dos poucos grandes bancos britânicos a sobreviver à crise de crédito sem ajuda direta do governo.

Mas os juízes do Tribunal de Apelação de Londres concordaram com a decisão de uma corte inferior de que as provas da OFS contra Varley, que haviam negado irregularidades, eram insuficientes para prosseguir com o caso.

Três outros ex-executivos do Barclays cobrados ao lado de Varley serão julgados em uma data ainda a ser determinada.

Os promotores alegaram que os quatro homens enganaram os acionistas e outros investidores ao não divulgarem que o banco pagou mais 322 milhões de libras para o Qatar durante uma captação de emergência de 11 bilhões de libras em junho e outubro de 2008.

Roger Jenkins, ex-presidente do Barclays em administração de investimentos no Oriente Médio, o ex-diretor de administração de fortunas Tom Kalaris e Richard Boath, que liderou o negócio de finanças corporativas, também negou qualquer irregularidade.

O caso é visto como um teste importante da OFS, que vem investigando os eventos que levaram ao investimento do Qatar desde 2012, e tem enfrentado críticas sobre suas dificuldades em responsabilizar os banqueiros seniores.

O investigador e promotor financiado pelo contribuinte ganhou elogios de alguns políticos e advogados em 2017 por apresentar acusações de fraude criminal contra o próprio Barclays e os executivos seniores após uma investigação de cinco anos.

Mas a absolvição de Varley segue uma decisão judicial separada para também negar provimento às acusações contra o banco em 2018.

Varley, um ex-advogado formado em Oxford, deixou o cargo de CEO do Barclays em 2011 e passou a maior parte dos anos desde que se envolveu na investigação do SFO.

Ele ingressou no banco em 1982 e, depois de 12 anos no setor de banco de investimento, passou a dirigir sua divisão de gestão de ativos e banco de varejo.

Ele se tornou diretor financeiro em 2000 e foi promovido a CEO em 2004. Ele se afastou em 2011 quando o banqueiro de investimentos Bob Diamond assumiu.

Mostrar mais

Danime Mennitti

Graduada e Mestre em História. Faço parte da equipe de redação do portal Gente e Meracado Além de professora e historiadora, sou redatora web freelancer/autônoma.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar