Investimentos

Investimento Imobiliário para 2019 – Conselho de especialista!

Você que está pensando em investir no mercado Imobiliário, ou quer diversificar as suas aplicações na carteira de ações, saiba como estará o cenário para o ano que vem.

Previsões da Abecip

As previsões da Abecip – Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança, são positivas para o próximo ano, no ramo de investimentos imobiliários. A estimativa é que sobrarão 114 bilhões de reais de crédito em recursos financeiros, para 2019.

Esse ano, as construções e financiamentos de imóveis prontos, ficaram mais baratas, por isso, a oferta de casas prontas e de construções, estão mais acessíveis. A Caixa Econômica Federal – CEF, anunciou a queda dos juros de financiamento em agosto deste ano, para até 0,5%.

A instituição financeira, também passou a financiar 80% do imóvel usado, e a possibilidade do uso de recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo – SBPE. A facilidade em adquirir um imóvel próprio, aumentou 80% (com um valor menor de entrada, para imóveis usados).

A Caixa Econômica Federal, lidera o setor de financiamento imobiliário em 69,3%, e conta com 82,1 bilhões de reais disponíveis, para o crédito habitacional.

Medidas aprovadas pelo Conselho Monetário Nacional

O Conselho Monetário Nacional – CNM, aprovou uma série de medidas para o ano de 2019, com relação ao uso de 65% dos recursos da poupança para o financiamento de imóveis, e 80% deles para distribuição em linhas de crédito.

Além dessas medidas, o CNM também elevou o valor dos imóveis a serem comprados por meio do Sistema Financeiro de Habitação – SFH, e do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço – FGTS, para 1,5 milhão de reais.

O valor dos imóveis residenciais financiados para os Estados de Minas Gerais, São Paulo, e Distrito Federal (não incluído o Rio de Janeiro), é de 800 mil a 950 mil reais (enquadrados no Sistema Financeiro de Habitação – SFH).

Para imóveis acima de 950 mil reais, o sistema utilizado é o de Financiamento Imobiliário – SFI. A inflação deve ficar estabilizada entre 3% e 4%, juntamente com a taxa básica de juros, em 8%. Todo esse cenário, motivará e facilitará o financiamento de imóvel próprio em 2019.

A liberdade para decidir, a respeito do índice de juros que irão incidir sobre os contratos de financiamentos, bem como o baixo risco que a compra e a venda de ações imobiliárias proporcionam, serão realidade no ano que vem, injetando cerca de 80 bilhões de reais em crédito no Brasil.

Aos cidadãos que apresentarem interesse em comprar, vender ou alugar um imóvel próprio, poderão utilizar todos esses benefícios, previstos para aquecer a economia, e valorizar o investimento no setor.

A transição de governo depois das eleições, também facilitou a aprovação dessas medidas, passando mais confiança ao investidor brasileiro e estrangeiro, com relação às ações na Bolsa de Valores do país.

Um imóvel dificilmente se desvaloriza demasiadamente, independentemente dos juros e inflação, praticados no mercado. A tendência é, que os preços sempre se mantenham estáveis, gerando uma boa fonte de negócios próprios.

Mostrar mais

Jessica Oliveira

Formada em Contabilidade fiz especializações em Mercado Financeiro, escrevo no G&M desde 2018.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar