Bancos

UniCredit, da Itália, põe possível oferta do Commerzbank no gelo, por enquanto

O UniCredit, da Itália, colocou uma possível oferta pelo Commerzbank no gelo, já que o rival alemão não quer se envolver em negociações tão cedo após o colapso das negociações de fusão com o Deutsche Bank, disseram quatro fontes.

A oferta da UniCredit

O UniCredit havia intensificado os preparativos para uma potencial aquisição do Commerzbank envolvendo Lazard e seu banqueiro Joerg Asmussen, ex-vice-ministro das Finanças da Alemanha, junto com o JP Morgan, disseram pessoas a par do assunto em maio.

Isso levantou a perspectiva de um acordo que permitiria que o maior banco da Itália em ativos desviasse seu foco de seu mercado doméstico em dificuldades, uma importante estratégia do presidente-executivo Jean-Pierre Mustier.

Mas os assessores tiveram pouca sorte em discutir uma possível oferta com o Commerzbank, que é representado pelo Goldman Sachs e Rothschild, e foram deixados em stand-by, disseram as fontes.

Mustier foi forçado a colocar suas ambições em segundo plano, já que o Commerzbank pediu algum espaço para respirar e ainda não está pronto para negociar outro acordo, disseram as fontes.

“O Commerzbank disse ao UniCredit que precisa de tempo para pensar no melhor curso de ação”, disse uma das fontes, que tem conhecimento direto do assunto.

Esta fonte descartou uma oferta sendo revivida durante o verão. Ele disse que as coisas podem mudar com o tempo, embora não esteja claro quando os alemães estão prontos para sentar-se à mesa para conversar com o banco italiano.

O UniCredit e o Commerzbank se recusaram a comentar.

Há muito tempo, a UniCredit está interessada em expandir-se na Alemanha, na medida em que procura reduzir sua exposição ao mercado doméstico italiano, que vem pesando o preço de suas ações, disseram várias fontes familiarizadas com o pensamento da administração.

O banco de Milão, que tem uma capitalização de mercado de cerca de 24 bilhões de euros (27,3 bilhões de dólares) em comparação com os 8 bilhões de euros do Commerzbank, já é dono da HVB, um grande banco alemão sediado em Munique.

Mas o banco italiano, que tem se concentrado em seu próprio plano de recuperação, estava aguardando o resultado das conversações de fusão entre o Commerzbank e seu maior vizinho de Frankfurt, o Deutsche Bank, que foi desvendado em abril.

PLANO DETALHADO
Os planos da UniCredit para uma parceria com o Commerzbank já estavam em estágio avançado, disseram as fontes.

De acordo com seus planos, o UniCredit fundiria o HVB e algumas de suas operações na Europa Central com o Commerzbank, ao mesmo tempo em que separaria e cercaria seus negócios na Itália, disse uma das fontes.

A rede da UniCredit na Europa Central inclui o Bank Austria, que é o principal banco de varejo do país, empregando 4.800 pessoas em 123 agências em março.

A combinação alemã seria listada em Frankfurt, enquanto a UniCredit manteria sua listagem e sede em Milão. Dois banqueiros próximos à situação disseram que o UniCredit precisaria de um aumento de capital entre 5 e 7 bilhões de euros para financiar o acordo.

Fonte:Reuters

Etiquetas
Mostrar mais

Danime Mennitti

Graduada e Mestre em História. Faço parte da equipe de redação do portal Gente e Meracado Além de professora e historiadora, sou redatora web freelancer/autônoma.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar