Orçamento pessoal para 2019

 

Para você que começou o ano de 2018, prometendo colocar as contas em dia, mas, chegou no final do ano e isso não aconteceu, confira algumas dicas básicas para reverter a situação, e iniciar 2019 com as finanças em dia!

Não basta só contar com o décimo terceiro salário em novembro e dezembro, para colocar as contas e os seus planos em dia. É preciso um planejamento mais profundo, sobre o que realmente você quer para a vida.

Tenha o hábito de usar papel e a caneta

Não confie somente em sua memória, para gravar informações importantes, sobre as datas de vencimento em que as contas precisam ser pagas, tampouco os valores de cada uma delas.

Pegue um papel e uma caneta, baixe um aplicativo no seu celular, computador ou tablet, ou ainda em uma agenda eletrônica, e escreva todas as suas despesas, de forma detalhada. 

Anote também as dívidas que você tiver em aberto, bem como o seu salário líquido total (férias, décimo terceiro, horas extras, adicionais, etc). Sabendo quanto você gasta, e o quanto recebe por mês, fica mais fácil planejar o seu orçamento para 2019.

Faça um teste: durante 30 dias, anote todas os seus gastos, sejam eles pequenos, ou grandes. Quando receber um dinheiro extra, escreva o valor ganho, e a data em que o recebeu.

Analisando melhor a sua vida financeira, é hora de tomar uma atitude, e agir de forma diferente em relação aos gastos desnecessários. 

Tarefas acompanham resultados

Você já mudou a sua atitude, anotando todos os seus ganhos e gastos, agora é hora de manter o foco:

– Corte os gastos desnecessários que parecem ser inofensivos, mas que no final do mês, se mostram como um ralo do seu precioso dinheiro;

– Defina as metas e objetivos para você, e para a sua família. As suas metas pessoais são responsabilidade sua, por isso, corra atrás de resultados. 

– Os gastos supérfluos, podem ser desde um cafezinho pago na esquina, um lanche no meio da tarde, ou uma blusa comprada fora de hora, por exemplo, são considerados dívidas desnecessárias no momento.

– Desde que tudo esteja dentro do orçamento, você pode se planejar para comer um lanche diferente, comprar uma roupa, e até mesmo viajar, desde que você tenha condições financeiras para cada uma delas.

– Separe cerca de 50% do seu salário para as despesas fixas, como água, luz, aluguel, IPTU, e IPVA; 15% para pagamentos de dívidas, e os 35% restantes, destinados ao lazer.

– É possível ajustar essa porcentagem para mais ou para menos, dependendo das suas necessidades no momento;

– Pague as dívidas mais antigas, aplacando assim a quantidade de juros incidentes sobre elas;

– Se tiver muitas dívidas em aberto (como em cartões de crédito), verifique a possibilidade de trocar uma conta maior, por uma com menos juros, como alguns empréstimos oferecem.

– Se não conseguir um empréstimo, tente renegociar a sua dívida, chegando o mais perto possível do melhor valor a ser pago.

Mostrar mais

Alinne Souza

Formada em Comunicação Social - Jornalismo. Já teve passagem pela Câmara dos Deputados, atuando como assessora de imprensa e produzindo matérias jornalísticas sobre política.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar