Paralisação do governo dos EUA completa 26 dias

Nessa quarta-feira, 16 de janeiro de 2019, o governo dos Estados Unidos completa 26 dias de paralisação parcial. Desde o dia 22 de dezembro, há um bloqueio de orçamento devido a oposição entre o presidente americano Donald Trump e o partido dos democratas. Sendo assim, aproximadamente um quarto do governo federal interrompe suas atividades, totalizando mais de 800 mil servidores públicos sem salário.

Em primeiro lugar, pode-se dizer que a paralisação foi travada pois o presidente se recusa a aceitar um orçamento federal com que não inclui recursos suficientes para a construção de um muro na fronteira entre os Estados Unidos e o México. Com isso, a ausência dos 5,7 bilhões de dólares para o projeto impossibilitam que o presidente possa concretizar uma de suas maiores promessas de campanha.

Além disso, é possível destacar que a paralisação do governo Trump é a maior de toda a história política dos Estados Unidos. Surpreendentemente, o recorde foi quebrado aos 21 dias, tempo de duração da paralisação na gestão em que Bill Clinton foi presidente do país, entre os anos de 1993 e 2001.

Em resumo, a paralisação se tornou possível pois os democratas possuem o controle da Câmara dos Representantes dos EUA. Desse modo, por possuírem ideias contrarias às de Trump e representarem um partido de oposição, o governo americano se encontra em uma verdadeira queda de braço.

No entanto, vale lembrar que o governo federal já foi custeado em 75%, com vencimentos até o mês de setembro desse ano, o que impede a paralisação total. Ainda assim, departamentos como Transporte, Agricultura e Interior estavam incluídos no orçamento federal que Donald Trump se recusa a assinar.

Enquanto isso, na quarta-feira da semana passada, 9 de janeiro de 2019, o presidente tentou reverter a situação e convencer seus opositores com um discurso bastante emotivo. Sendo assim, foram citadas questões como o tráfico de drogas existente na fronteira e a morte de americanos por drogas. No entanto, boa parte dos números mencionados foram questionados pela oposição e pela imprensa, tornando o discurso pouco eficaz.

Nesse ínterim, outro acontecimento que chamou a atenção da mídia aconteceu nessa segunda-feira, 14 de janeiro de 2019, quando a equipe de futebol americano Clemson Tigers foi recebida na casa branca com pizzas e hambúrgueres de redes de fast food famosas. A medida foi necessária, uma vez que os funcionários que cuidam da Casa Branca também ficaram sem seus salários.

Mostrar mais

Lucas Dadalt

Físico Médico com formação pela USP e atualmente cursando mestrado em Física Aplicada a Medicina. No momento trabalho em tempo parcial com programação e produção de conteúdos nos mais variados temas como, por exemplo, finanças, investimentos, saúde e marketing.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar